Marcadores

sábado, 31 de agosto de 2013

A HISTORIA DO PICA PAU PARTE 02,O Pica-Pau na Era da Televisão



                    A HISTORIA DO PICA PAU PARTE 02           

    O Pica-Pau na Era da Televisão
Como Lantz estava lutando financeiramente, a longevidade do Pica-Pau foi assegurada quando seus desenhos passaram a ser exibidos na televisão, no programa The Woody Woodpecker Show (no Brasil ganhou o título O Pica-Pau e seus Amigos, também conhecido como A Turma do Pica-Pau, O Show do Pica-Pau ou simplesmente O Pica-Pau), transmitido pela ABC. O programa semanal de meia-hora consistia em uma compilação de 3 curta-metragens cinematográficos do Pica-Pau, seguidos por um breve comentário de Walter Lantz, o apresentador do programa, cujas filmagens em live-action interagiam com novas sequências animadas do Pica-Pau, como se uma pessoa e um desenho animado estivessem apresentando o programa juntos. O programa foi exibido originalmente de 1957 à 1958 e, em seguida, entrou em sindicação até 1966, ganhando uma nova temporada em 1970 para ser exibido na NBC.

A NBC obrigou Lantz a editar grande parte dos desenhos animados mais antigos, fazendo-o cortar as cenas que continham violência, o que Lantz fez relutantemente. Adicionalmente, o próprio Pica-Pau também teve que sofrer mudanças no seu comportamento, ganhando uma personalidade mais tranqüila e menos agressiva. O primeiro desenho notável que mostrou o Pica-Pau assim foi Não Puxem Minhas Penas ("Franken-Stymied"), de 1961. A popularidade do Pica-Pau havia sido baseada em suas atitudes loucas e maníacas, e por volta de 1961, estas características foram eliminadas em favor de um personagem mais sério. Isso aconteceu devido à grande presença do personagem na televisão, o que levou Lantz à cumprir as rigorosas normas de censura da violência na televisão para as crianças.O Pica-Pau continuou a estrelar novos curtas de animação nos cinemas até 1972, quando Lantz fechou definitivamente o seu estúdio, devido ao aumento dos custos de produção. Seus desenhos retornaram à sindicação no final dos anos 1970. Em 1985, Lantz vendeu sua biblioteca de desenhos animados para a MCA/Universal. A Universal recompilou os desenhos para um outro The Woody Woodpecker Show em 1988. Naquele mesmo ano, o Pica-Pau fez uma pequena aparição em Who Framed Roger Rabbit, em uma cena perto do fim do filme. Neste filme, o personagem foi dublado por Cherry Davis.2 Em 1995, o personagem apareceu em um comercial da Pepsi junto com Shaquille O'Neal, estrela da NBA.

Desde então, o Pica-Pau só voltou a reaparecer em 1999, na série de animação The New Woody Woodpecker Show, produzida pela Universal Animation Studios, que foi exibida originalmente na Fox Kids nas manhãs de sábado de 1999 à 2003. A série apresenta os primeiros desenhos animados do Pica-Pau a serem produzidos em mais de 20 anos, e retornaram o design do persongem para o antigo visual de 1947, e também alguns personagens tiveram o seu visual alterado e ficaram irreconhecíveis, como é o caso da Meany Ranheta, que teve a cor do cabelo mudada de preto para marrom e o formato do nariz um pouco alterado, e o Dooley, que aparece sem barba e com uma aparência mais jovem. Além disso, foram criados novos personagens como o gavião Tweaky, o Doutor Lelé, a Mãe Natureza e o texugo que sempre diz: "Oi, meu chapa!". Nesta nova série, o Pica-Pau foi dublado nos Estados Unidos por Billy West. Atualmente, o programa The Woody Woodpecker Show original é ainda reprisado com freqüência na televisão, e Pica-Pau e Paulina aparecem como mascotes nos parques temáticos da Universal Studios.

 O Pica-Pau no Brasil 
O Pica-Pau foi o primeiro desenho animado a ser exibido na TV brasileira, na extinta TV Tupi, um dia após a sua inauguração, em 19 de setembro de 1950.3 4 Nessa época, os desenhos eram exibidos com a dublagem original (inglês), pois a dublagem em português só surgiria em 1957.A primeira emissora de televisão a transmitir os curta-metragens do Pica-Pau com dublagem em português foi a TV Record, na década de 1960. Depois de algum tempo, a série saiu do ar. Em 1981 , o SBT tomou posse do desenho até 2002, quando em 2003 a Rede Globo começou a transmitir o desenho com os episódios remasterizados, dentro do programa infantil TV Globinho, onde o desenho dissipou em 2004 e teve esporádicas exibições em 2005, até que a Rede Globo deixou de exibi-lo definitivamente.Em 2006, a Rede Record exibiu um especial com episódios de O Novo Show do Pica-Pau respectivamente às 17h, no feriado do dia 15 de novembro de 2006. Então a partir desse dia, os novos episódios ganharam espaço na programação de segunda a sexta às 18h, na mesma forma de sequência de desenhos: Pica-Pau, Picolino e outros, e outro desenho do Pica-pau, durando até março de 2007, quando a Record começa a exibir os episódios da série clássica antiga do desenho às 13h, sendo o primeiros cartoons "Quem Cozinha Quem" e "Hora do Banho". Entre março e abril, foram apenas exibidos os episódios da década de 1940, quando foi reprisado novamente. No dia 28 de abril de 2007, foram exibidos pela primeira vez os episódios antigos da Turma do Pica-Pau. A partir de 2009, a emissora começou a cortar os títulos dos episódios e, em 2010, parou de exibir os episódios de A Turma do Pica-Pau e O Novo Pica-Pau ,deixando apenas episódios do pica pau antigo . Em janeiro de 2012, O Novo Pica-Pau volta a ser exibido nos domingos, das 09h às 11h, seguido por Pica-Pau antigo . Esta exibiçao continua atualmente.


Problemas com a animação

Alguns dos primeiros curtas produzidos por Walter Lantz e Alex Lovy, no início dos anos 40, apresentavam muitas vezes uma animação fora de padrão ou modelo, algo que pode ser chamado de "Animation bump" 5 . (que em uma tradução livre para português significa "colisão de animação"), sendo assim, cada animador tinha o seu próprio traço para os personagens, que mudavam um pouco de uma cena para outra. Muitos historiadores consideram que a animação melhorou enormemente quando Shamus Culhane entrou no estúdio, mas ainda assim se mostrava meio "descuidada".A animação, finalmente, levantou a sua qualidade quando Dick Lundy assumiu como diretor, mas depois começou a decair novamente após o desligamento temporário do estúdio em 1949. Alguns consideram que a qualidade ficou muito boa quando Don Patterson substituiu Lundy, mas ficou cada vez pior quando Patterson saiu e foi substituído por Paul J. Smith e Alex Lovy (quando este retornou ao estúdio).

Surpreendentemente a animação de alguns desenhos decaiu cada vez mais perto do fim da vida do estúdio de Lantz, durante os anos 60 até o início dos 70. Nessa época foram usados animadores com traços completamente diferentes uns dos outros, em um mesmo episódio, como por exemplo nos curtas: O Doce Lar Quase Destruido ("Home Sweet Homewrecker"), e O Fotógrafo Chato ("The Shutter Bug"), que foram animados por Ray Abrams, Al Coe, Art Davis e Lester Kline. Estes animadores vieram de estúdios diferentes, por exemplo: Ray Abrams fazia a animação dos desenhos do Droopy para a MGM, e passou a trabalhar para Lantz desde os anos 50. Al Coe foi um animador da Disney, que trabalhava nos desenhos do Pato Donald e Tico e Teco nos anos 50, e se mudou para o estúdio de Lantz nos anos 60.


 Art Davis animava anteriormente os desenhos da turma do Pernalonga da Warner Bros. Lester Kline trabalhou somente para Lantz, algumas vezes nos anos 30 e 40, e retornou somente em 1956 a partir do episódio Festival de Cucos ("Calling All Cuckoos"). Sua animação era bem pobre em comparação a outros animadores renomados.Ainda durante a década de 60, houve alguns curtas dirigidos por Sid Marcus, como: Chá Chado pra Dois ("Tepee for Two"), Esperto contra Sabido ("Dumb Like a Fox"), Os Parentes ("Skinfolks"), e Que Lindinho, o Cachorrinho ("Get Lost! Little Doggy"), que traziam Art Davis e Ray Abrams trabalhando juntos na animação, ainda que com traços um pouco diferentes. Ray Abrams fazia o Pica-Pau mais magro, e sempre com um espaço de cor azul do lado da barriga branca, com um traço parecido com o que era utilizado nos anos 50 (criado pela animadora Laverne Harding), enquanto Art Davis fazia um Pica-Pau mais "gordinho" e de topete mais cheio. Posteriormente, Abrams e Davis conseguiram "sincronizar" melhor seus traços em episódios como: Os Três Pica-Paus ("Three Little Woodpeckers") e A Observadora de Pássaros ("Birds of a Feather"). Contudo, em episódios dirigidos por Paul J. Smith, como: Auto Estrada Fracassada ("Freeway Fracas"), Pica-Pau e o Pé de Feijão ("Woody and the Beanstalk"), e A Fonte da Juventude ("Flim Flam Fountain"), ainda haviam problemas com os traços diferentes de Al Coe e Lester Kline (ou "Les Kline" como era creditado no início dos desenhos). O principal problema nessa época foi o fato de que nas cenas animadas por Al Coe, os desenhos eram bem mais detalhados e com movimentos mais "elegantes", enquanto nas cenas de Lester Kline, os desenhos eram bem mais pobres e com traços e movimentos mais simples.


Esses problemas com o traço dos personagens só começaram a ser corrigidos novamente no início dos anos 70, quando o diretor Paul J. Smith recrutou vários animadores da Disney que trabalhavam com Al Coe nos desenhos do Pato Donald dos anos 50, eram eles: Volus Jones, Tom Byrne, e Joe Voght, conseguindo assim manter o mesmo traço e estilo de Coe. Mas segundo alguns historiadores de animação, essa mudança foi realizada um pouco tarde demais, pois só foi feita em 1972, no mesmo ano em que o estúdio de Walter Lantz viria a fechar suas portas.O time de animadores recrutado por Paul J. Smith, vindos dos estúdios de Walt Disney, chegaram a animar juntos somente 8 curtas do Pica-Pau, que foram: "História pra Índio" (Indian Corn), "Nem Tudo que Reluz é Ouro" (Gold Diggin' Woodpecker) Nunca Aposte num Poste Furado ("Pecking Holes in Poles"), Chili com Carne ("Chili Con Corny"), Um Cão Falante ("Show Biz Beagle"), Por Amor à uma Pizza ("For the Love of Pizza") Gênio Engenhoso ("The Genie With the Light Touch"), e "Adeus às Aulas" (Bye, Bye, Blackboard).

Ficheiro:Woodpecker 20040529 151837 1c.jpeg


Pileated Woodpecker.
Ficheiro:Melanerpes erythrocephalus FWS.jpg
Red-headed Woodpecker.


                                                     Espécie

Em nenhum desenho animado nunca foi dita de que espécie exatamente é o personagem Pica-Pau (embora no episódio Esperto Contra Sabido "Dumb Like a Fox" seja dito que o seu nome científico é "Campephilus principalis"). O topete vermelho dele faz parecer que ele é um Pileated Woodpecker (uma espécie de pica-pau muito comum nos Estados Unidos), porém o design e as cores do corpo dele nos anos de 1944 até 1946, cabeça e pescoço vermelho, corpo azul escuro e peito branco, lembram mais um Red-headed woodpecker (outra espécie comum nos EUA, que tem a cabeça vermelha mas não tem topete). O personagem parece ser uma mistura destas duas espécies, com o corpo de um Red-headed e topete de Pileated.

Ficheiro:Mel Blanc (1976).jpg
Mel Blanc, o criador da risada do Pica-Pau. e dublador de  1940 a 1941

 A Voz do Pica-Pau

                                                      A risada

Uma característica inconfundível no Pica-Pau, é que no começo e no final de seus desenhos, ele sempre emite a sua famosa e estridente risada. Essa risada foi criada pelo dublador americano Mel Blanc antes mesmo da existência do Pica-Pau. Antes do Pica-Pau, Mel Blanc já tinha usado a risada para o coelho Happy Rabbit da Warner Bros (que mais tarde evoluiu para o Pernalonga "Bugs Bunny"), a risada foi usada pelo coelho em apenas quatro episódios. Sendo que o último episódio em que foi usada se chamava: "Elmer's Candid Camera", episódio que chegou a vir para o Brasil, e recebeu o título de: "A Câmera de Hortelino". No Brasil esse episódio foi primeiramente dublado em 1996 para a TV com o dublador Mário Monjardim fazendo a voz do coelho, e depois redublado em 2004 para o DVD, dessa vez com o dublador Alexandre Moreno, mas nas duas dublagens a risada que o coelho dá no fim do episódio (logo depois de chutar o Hortelino para dentro de uma lagoa) foi dublada em português como se o Pernalonga estivesse apenas rindo normalmente.Depois de Happy Rabbit, Mel Blanc usou a risada para o Pica-Pau em seu primeiro desenho animado: "Knock Knock", risada que acabou combinando perfeitamente com o personagem e se tornou a marca registrada do pássaro. O próprio Blanc dublou os três primeiros desenhos do Pica-Pau até o episódio "'Pantry Panic" em 1941, mas depois disso Blanc assinou um contrato de exclusividade com a Warner Bros, que só permitia que ele fizesse as vozes dos personagens da Warner, e ele não pode continuar a fazer a voz do Pica-Pau, e foi substituído pelo dublador Ben Hardaway e também pela própria esposa de Walter Lantz, Grace Stafford, porém a risada que Blanc havia gravado foi usada até o final dos anos 1940 e em 1951 os outros dubladores tiveram que adaptar a risada com suas próprias vozes, por isso ela foi mudando um pouco durante os anos.

Um fato a ser observado, é que tanto Mel Blanc quanto os outros dubladores, gravavam a risada e a voz do Pica-Pau com suas vozes normais, e só depois é que a gravação era acelerada para dar um tom mais "esganiçado" ao Pica-Pau.No filme Looney Tunes: Back in Action há uma cena cortada que faz referência ao fato de que a risada criada por Mel Blanc ja havia sido usada no Pernalonga, a cena mostra o Pernalonga sendo atingido pelo raio do diamante "Macaco Azul" e se transformando de novo em sua "forma primitiva" (que é o Happy Rabbit) e dando por duas vezes a famosa risada porém com a voz bem grossa, a cena acabou não entrando para o filme, apenas nos extras do DVD.


Nenhum comentário: